Três semanas atrás, a internet estava cheia de discussões por causa da nova lei francesa que proibiu emails de trabalho depois das 18 horas. Essa proibição nunca aconteceu de fato. Na verdade, como o InfoMoney informou, foi um acordo de trabalho entre os sindicatos e empregadores na área de alta tecnologia que se referem a ‘obrigação de desconectar as ferramentas de comunicação’, depois de um turno de 13 horas de trabalho. Logo, do outro lado do oceano, a história acabou dando margem para as dúvidas sobre balancear trabalho e vida pessoal – uma questão que tem tomado conta das discussões nos últimos anos. Em 2012, a Chefe de Operações do Facebook Sheryl Sandberg destacou o problema ao compartilhar sua experiência falha em equilibrar o trabalho e a vida pessoal. Sandberg, que consegue jantar com a família todos os dias, disse que ela compensa enviando emails de madrugada ou antes de ir trabalhar. Se a lei francesa entrasse na moda, eu me pergunto como Sandberg se adaptaria ao novo regulamento.

A pergunta continua a nos perturbar. Devemos agir como Sandberg ao misturar a vida pessoal com a do o trabalho? Essa pergunta me deixa como uma criança antes do primeiro dia de escola, com uma urgência insaciável de ter as respostas para essas perguntas.

Lindsay Lavine escreveu um artigo para a Fast Company chamado “Como executivos equilibram suas vidas pessoais e profissionais.” Lavine aponta o fato de que esse problema já gerou 347 milhões de buscas no Google e mais de 18 mil livros. Mostrando as descobertas de um estudo de Harvard que ‘entrevistou 3850 executivos ao redor do mundo no período de 5 anos,” Lavine informa 3 pontos chave: (1) definir sucesso, (2) gerenciar tecnologia e (3) criar uma equipe de suporte.

Definindo sucesso baseado em valores. O valor de uma pessoa pode ser diferente de outra. No estudo de Harvard, as mulheres definem o sucesso baseado em respeito e realização pessoal enquanto homens determinam o valor em bens mais acessíveis como sucesso financeiro. O que aprendemos aqui é que se o trabalho tem valor para você, então você não terá problemas para equilibrar sua vida pessoal com sua vida professional. No entanto, isso não responde nossa pergunta de como devemos unir trabalho e vida pessoal.

O Segundo ponto do estudo foca em gerenciar tecnologia. Como um executivo do estudo informou “tentar estar em dois lugares ao mesmo tempo e não oferecer sua atenção total pode gerar confusão e erros”. Isso nos traz à pergunta: como decidir aonde estar? O estudo não oferece a resposta para essa pergunta. Na verdade, apenas levanta mais perguntas. Uma resposta pode ser encontrada no tipo de trabalho que você faz. Mesmo com toda a praticidade, o empresário (e aquele funcionário sempre presente que espera conseguir uma promoção), não tem esse luxo. Minha recomendação é conseguir um tempo antes e depois do trabalho para checar os emails. Por exemplo, acorde meia horas antes para ver os emails e agende uma hora depois do jantar e tempo com a família para verificar como está o trabalho. Isso não significa que todos os emails devem ser respondidos. Isso quer dizer que deve ser verificado se não existe nenhum problema urgente para ser verificado. Ter um trabalhador insano obcecado pela tecnologia é um mal terrível para a criatividade, pois não permite o tempo necessário para a mente descansar.

A última questão, sobre criar uma equipe de suporte, foi algo que o artigo escrito por Keith Ferrazzi para o blog Harvard Business Review também trouxe à tona essa questão de uma maneira muito interessante. Um post intitulado “Como Equipes Virtuais podem criar conexões humanas apesar das distâncias,” encoraja empresários a reconhecer que nossos colegas tem vidas pessoais – e a respeitar isso. Como é esperado de nós, que equilibremos nossa vida pessoal com trabalho, também devemos equilibrar o trabalho com a nossa vida pessoal. Ferrazzi parafraseia o pesquisador da Forrester, Henry Dewing que fala sobre uma atitude mais liberal sobre o barulho de fundo durante as teleconferências, por exemplo. Ferrazzi faz uma lista de 10 passos para humanizar a ocorrência, “recomendando que você foque por um momento no latido, no choro, no alarme. Use como motivo para se empenhar de uma maneira que vai além da questão profissional/pessoal”. Ao fazer isso, nós não estamos apenas tolerando a vida pessoal do nosso colega de trabalho, que busca evitar que esses problemas ocorram enquanto ele trabalha de forma remota, mas mostramos respeito. É uma outra maneira de construir valor para você, seu trabalho e sua equipe.

Fique ligado nas novidades e dicas da Benchmark Email sobre Email Marketing e outras ferramentas de marketing online. No e-mail marketing há sempre novidades. Não perca!