Temos lido vários artigos sobre como ajudar a desenvolver líderes – mas e sobre o cara comum, que não é um executivo ou que ainda não é dono do seu próprio negócio? Você pode tentar estar na frente dos negócios, trabalhando para contratar, treinar e reter uma equipe de vendas, ou você pode ser o primeiro degrau da escada corporativa. Se você faz parte do primeiro grupo. Você não tem o benefício de RH ou de gestão de talentos consultores vindos para ajudar a desenvolver habilidades de liderança. Se você faz parte do segundo grupo, é bem provável que você seja apenas mais um dentro da empresa. Mas você tem um bem importante e esse bem está no reflexo que te encara de volta todas as manhãs.

Você não precisa de ajuda externa para montar um plano para as suas habilidades de desenvolvimento. Você pode alcançar esse objetivo ao tomar a posição de líder. E a primeira coisa que um líder faz é questionar tudo. Essas são a perguntas que você deve fazer a você mesmo para avaliar as suas forças, fraquezas e performance.

1. Onde eu estou falhando?

Tão importante quanto o seu sucesso, é o seu fracasso. Assim como na vida, nós fazemos os mesmos erros até que aprendamos com eles. É bem provável que você cometa os mesmos erros no local de trabalho. Se você gerencia seu próprio negócio, procure as suas falhas mas também olhe para trás, para todo o seu histórico e procure cada erro cometido. O mesmo vale para quem está no mundo corporativo. Tem uma boa chance de você estar, inconscientemente, o mesmo comportamento problemático de antes. E é aí que fica o perigo. No seu comportamento.

2. Onde estão os meus riscos?

Se você não estiver se arriscando, você não está avançando. Você pode aceitar riscos estratégicos ao aprender algo novo. Senão sua empresa ou a sua carreira não serão interessantes… e sim previsíveis e entediante.

3. Onde está a minha competição?

Nada te motiva mais a prosperar do que a competição. Não importa o quão bom você seja, sempre chegamos ao ponto onde começamos a descansar sobre os louros conquistados. Somente com a competição que nós somos motivados a entrar em ação novamente. Todo mundo tem competição. A sua pode ser uma empresa de trajetória meteórica que está conseguindo clientes de uma maneira que você nunca imaginou ou pode ser aquele empregado recém contratado que já é o favorito de todo mundo.

O próximo passo é entender como lidar com a competição. É sobre trabalhar com a comunidade. Aí está a sua força, porque não há nenhum negócio online, não importa o quão conveniente seja, que possa se conectar com as pessoas da mesma maneira que você. No corporativo, a sua estratégia é um pouco mais complicada e existe um entendimento dos tipos de personalidade e psicologia; começando em entender porque alguns são os favoritos e você não é….

4. Estou construindo um time?

Isso vale para os donos de pequenos negócios. Você, como dono de empresa, consegue dizer a diferença entre contratar pessoas e delegar tarefas e construir um time? Você, como funcionário de corporação que ainda não tem ninguém trabalhando abaixo de você, pode demonstrar liderança ou guia-los em um projeto? Liderança não é apenas ter essa função. É sobre navegar entre mares revoltos de pessoas, personalidades e objetivos e chegar como um vencedor no final.

Quando você olhar no espelho, você deve sentir uma sensação de fortalecimento. Você deve ser capaz de reconhecer a própria capacidade de fazer as coisas acontecerem e ser capaz de inspirar outros a verem a si mesmos da mesma forma. Isso não significa esperar por uma oportunidade ou esperar que os outros te vejam como um líder em desenvolvimento. É algo que você precisa ver em si mesmo primeiro.
Fique ligado nas novidades e dicas da Benchmark Email sobre Email Marketing e outras ferramentas de marketing online. No e-mail marketing há sempre novidades. Não perca!