A entregabilidade de email está na lista de prioridades de seu email marketing?

Depois de tanto se dedicar e suar a camisa para criar um email incrível para seus inscritos, finalmente chega o momento de apertar o botão “Enviar”. Mas aí, logo depois de enviá-lo e analisar seus relatórios, você percebe que uma grande parte de seus inscritos acabou não recebendo sua campanha de email marketing. É bem decepcionante, não é mesmo?

Os emails rejeitados, ou bounces, não são nenhuma novidade no email marketing. Isto acontece geralmente quando seus inscritos por algum motivo não têm mais acesso aos emails ou talvez porque o servidor do email está em manutenção, enfim. Esta é uma situação comum no ramo.

Quanto maior for a sua taxa de rejeição de email, maiores serão as chances da entregabilidade de email de sua conta ser prejudicada. De acordo com um estudo, o benchmark aceito para a taxa de rejeição de email é de cerca de 2%. Isso significa que, para cada 100 emails que você envia, é normal que 2 emails sejam marcados como bounce. Por outro lado, se você perceber que a taxa de rejeição de seu email está acima dos 5%, quer dizer que será necessário tomar algumas medidas para reduzir esse número.

Felizmente, reduzir a taxa de rejeição de email não precisa ser um problema. Neste artigo, mostramos pra você algumas maneiras poderosas para garantir que seus emails cheguem sem problemas às caixas de entrada dos seus contatos.

banner sobre como melhorar sua entregabilidade de email

1. Atualize e Limpe sua Lista de Contatos com Frequência

Um dos motivos mais comuns pelos quais os emails sofrem rejeição é quando um inscrito não tem mais acesso àquela conta de email. Você pode evitar uma situação como esta ao atualizar sua lista de contatos regularmente. Isso não significa que você tenha que sempre remover endereços de email desta lista e criar uma nova do zero.

O objetivo dessa prática é se livrar de usuários inativos e inscritos que nunca abriram seus emails e, assim, manter sua lista higienizada e somente com contatos ativos. Além disso, seria muito mais fácil para você se concentrar nos inscritos que realmente têm interesse em sua marca ou negócios e em suas campanhas de email e newsletters. Veja abaixo algumas das maneiras de atualizar e limpar constantemente sua lista de contatos:

  • Peça feedback em cada campanha que você enviar para saber quais são os endereços de email que valem a pena manter
  • Peça aos seus inscritos que te informem se algo mudou através de enquetes ou formulários.
  • Solicite novamente o Opt-in dos seus contatos menos engajados.
  • Facilite a remoção da inscrição para que os seus inscritos menos ou nada engajados não tenham que denunciar seus emails simplesmente porque o processo de cancelamento é complicado.

2. Evite Ativar os temidos Filtros de Spam

Um relatório mostra que 80% dos emails diários são spam, o que significa que aproximadamente 140 bilhões de emails de spam são enviados todos os dias. Sabendo disso, não deve ser surpresa ver que seus emails rejeitados, na verdade, foram parar nas pastas de spam dos seus destinatários. O motivo para isso acontecer é que o filtro de spam foi ativado e detectou que seus emails como spam e você pode estar causando isso mesmo sem perceber.

Inconscientemente, você pode ter incluído algum conteúdo ou mesmo frases em seus emails que ativam o filtro de spam que fazem com que identifique seu remetente como um spammer. Imagens quebradas, muitos links e termos inadequados podem facilmente colocar os filtros em alerta. Emails mal estruturados e com formatação ruim também podem te colocar na caixa de spam.

uma baixa entregabilidade de email pode ativar mensagens de spam

Veja abaixo algumas das maneiras de prevenir que os emails vão parar no spam e assim maximizar a entregabilidade de email de sua conta:

Here are some actionable tips to prevent emails from going to spam and maximize your email deliverability:

  • Utilize um endereço de IP confiável para enviar seus emails.
  • Sempre aqueça um novo endereço IP lentamente, com um baixo volume de envio primeiro, antes de enviar muitos emails de uma vez só.
  • Preste atenção ao formato, conteúdo e layout do seu email. Sempre evite incluir elementos que possam soar como alerta para filtros de spam e tente não colocar todo o conteúdo em um único email apenas.

3. Use seu Próprio Domínio Privado e Personalizado

Recomendamos 100% que você considere investir em um domínio personalizado que represente sua empresa ou negócio, evitando a utilização de domínios gratuitos, como Gmail ou Yahoo. O domínio personalizado não apenas torna seus remetentes mais profissionais e com maior autoridade, mas também te ajuda a informar ao servidor de recebimento de email que você é um remetente legítimo – o que pode facilitar que seus emails cheguem às caixas de entrada dos seus inscritos.

Depois de contratar seu próprio domínio, uma parte crucial é a de autenticação.

A autenticação do domínio ajuda a verificar se o domínio utilizado em seu endereço de email está totalmente sob o seu controle. Dessa forma, ele pode impedir que outras pessoas enviem emails em seu nome sem a sua permissão, ajudando a proteger seus inscritos de golpes de phishing, ataques e spammers.

Existem três métodos principais de autenticação de email para reduzir sua taxa de rejeição (ou taxa de bounces):

  • Sender Policy Framework (SPF) – É um mecanismo que determina servidores/hosts específicos como autorizados a enviar um email de um domínio em seu nome. Temos um artigo em nossa base de conhecimentos explicando melhor o que é Registro SPF e como configurá-lo.
  • Domain Key Identified Mail (DKIM) – Ele utiliza uma assinatura criptografada para verificar se o remetente do email é quem diz ser. Ele também fornece a chave para o destinatário verificar seus registros DNS. Aprenda mais sobre DKIM aqui.
  • Domain-Based Message Authentication Reporting and Conformance (DMARC) – Ele compila os sinais do SPF e DKIM para identificar com precisão se um email é autorizado ou não. Leia mais sobre o assunto clicando aqui.

4. Confie nos Testes A/B

Nem todos os emails são criados e funcionam da mesma forma. Alguns dos seus emails podem gerar um resultado melhor do que outros. É por isso que você precisa testar quais linhas de assunto, botões de CTA, copy de email e conteúdo em que seus contatos mais se engajam com o teste A/B.

captura de tela com exemplo de teste ab

Para fazer um teste A/B, você deve criar duas versões do mesmo email para ver qual terá o melhor desempenho e depois observar se isso ajudará a reduzir sua taxa de rejeição. Com essa comparação, você terá uma visão clara sobre quais pontos você precisa reforçar ou quais necessitam de algumas melhorias.

Veja abaixo alguns elementos que você precisa dar a devida atenção na hora de realizar um teste A/B, focando principalmente na redução de bounces e melhoria da entregabilidade:

  • O comprimento (extensão) das linhas de assunto
  • A ordem das palavras
  • O conteúdo de email
  • O conteúdo visual (incluindo fotos, infográficos, vídeos explicativos, etc.)
  • Textos ou botões de chamada para ação (CTA)

Para encerrar: Fique de olho na Taxa de Rejeição e em sua Entregabilidade de Email

Uma taxa de rejeição de email mais alta não só prejudicará sua entregabilidade de email, mas também afetará sua reputação como remetente. Se você não prestar mais atenção nisso, verá uma diminuição nos níveis de engajamento, nas taxas de abertura e nas taxas de cliques – o que pode levar a um número menor de vendas.

Esperamos que as melhores práticas mencionadas acima tragam maior compreensão de como criar emails que chegam às caixas de entrada de seus inscritos para que você possa colher todos os benefícios que merece de suas campanhas de email marketing. Boa sorte com sua próxima campanha!

Sobre o Autor

foto do autor do post andre oentoro

Andre Oentoro é fundador da Breadnbeyond, uma premiada empresa de vídeos explicativos. Ele auxilia empresas a aumentar suas taxas de conversão, fechar mais vendas e obter ROI positivo através de vídeos explicativos (nessa ordem).